14 de nov de 2011

Coisas que estão me ajudando III

Sentir o sabor dos alimentos. Comer devagar.

Coisa óbvia, né? Você cansou de saber, veio aqui para ver se tinha alguma novidade e eu com notícia velha!!! Sacanagem!

Mas está fazendo bastante diferença para mim.

Primeiro, sentir o sabor dos alimentos, aliás, QUERER sentir, foi fundamental, variando com temperos aqui, menos sal lá, deixar o "eu não gosto disso" de lado e experimentar de uma vez. Não sou enjoada, já gostava de fruta, verdura, hortaliça desde pequena (até o peixe, estou tentando), só que agora gosto mais. A salada vinha sempre com o trio vinagre-azeite-sal mas já há dois anos que resolvi "desapegar" o paladar o que quer dizer que meu processo para criar vergonha na cara não foi de uma hora para outra. Diminuí primeiro o sal, depois o vinagre. Vinagre é bom, mas acabei enjoando. Coisa mais engraçada a minha salada sem tempero, na maioria das vezes, e surpresa minha descobrir que couve crua e desamcompanhada, no fim das contas é levemente adocicada. Este ano, investi em coisas que não comia, por falta de iniciativa: couve, berinjela, abóbora, por exemplo. Trouxe de volta o brócolis e o espinafre que haviam ficado de fora por um tempo. Inventei algumas formas de consumo, aumentei o uso de alho, cebola e os meus potinhos de tempero, mão-na-roda, pau-para-toda-obra, mil-e-uma-utilidades, prontos para o que der e vier.

Houve momentos em que a carne temperada com alho, alecrim, alguma pimenta (do reino, preta, páprica) e nada de sal me pareceu muito bom. Mas acabo usando o sal verde, marido gosta de um saborzinho salgado.

Usei açúcar em café com leite, mas depois voltei ao adoçante. Passado algum tempo, fiquei pensando em quanto eu conseguiria diminuir o mesmo e sentir o sabor amargo do café. Então, de dez gotas, passei para sete. Meses depois, de sete, fui para quatro. Aí, um belo dia de junho deste ano, o adoçante acabou e não encontrava no supermercado, o único adoçante que eu aceitava comprar, o mais indicado pela nutri, fiquei algumas semanas procurando e desisti. De quatro gotas, para nada, acostumei rapidinho. Aí, resolvi fazer bagunça: coloquei canela, gostei. Comprei um pacotinho de cravos da índia para testar, gostei. Aí, lembrei que havia comprado endro meses atrás, mesmo sem saber para que servia, e resolvi acrescentar ao café com leite. Gostei. E assim, a partir de julho deste ano, decidi não comprar mais adoçante.

Uma fatia de bolo de festa para mim, aqueles com recheio e glacê, está ficando demais, se comer bem devagar. Ontem, numa comemoração em nossa igreja, me servi de uma fatia bem fina, comi bem devagar, com chá de frutas sem adoçar, conversando, pousando o garfo no pratinho, e deu, fiquei bem satisfeita. Se eu fosse repetir, ia ficar enjoada com a doçura MAS, isso não acontece se eu fizer um bolo de chocolate, então, nem tento para não ficar com a bomba me chamando dentro de casa, hehe.

Fruta, salada de fruta, sem creme de leite, açúcar, nata, leite condensado...não gosto de nada disso como acompanhamento (mas gosto para outras coisas). No máximo, cereal, canela ou iogurte natural, que estou fazendo em casa mesmo.

Outro dia, me servi de quatro batatinhas sautée, um pedaço pequeno de carne e salada variada. Enrolei tanto mastigando e pensando no sabor que fiquei "cheia".

Óbvio, não é sempre que acontece de ficar satisfeita ou não ter vontade de repetir dou um jeito de segurar, mas a verdade é que antes, isso ficava muito longe de acontecer. Tinha fome o tempo inteiro e agora, não tenho mais. ESPERO continuar assim, pois a gente não deve cantar vitória antes do tempo certo.

Claro, o que acabei de descrever, é algo bem pessoal, funciona comigo e não é uma regra a ser seguida. Fui tirar proveito do que gosto e descobrir coisas, pois sofrer para emagrecer nunca foi meu pensamento ou força para inciar uma reeducação alimentar que aliás, tem sido bem divertida. Alguém pode fazer qualquer uma dessas coisas que descrevi acima e dizer: "Credooooo, Bel, experimentei e não gostei de nada disso!" Alguém pode chegar para mim e dizer que o que eu como é muito sem gosto porque está desacostumado a temperos naturais ou não é doce/salgado o suficiente. Pois bem, não é mesmo. Mas é que eu desacostumei o paladar antigo para poder começar um novo processo de sentir o sabor das coisas...e está me fazendo tão bem! Esse é o meu caminho. Qual o seu?

5 comentários:

  1. Oi Bel!
    Sim, comer devagar ajuda muito!
    Sabe que dos temperos, li naquele livro "A Nao dieta dos Franceses" que tudo é uma questao de habito. O paladar esta muito saturado com o excesso de sal/açucar... La ele ate sugere uma forma de "limpar" o paladar... (nao lembro agora, o livro ta no Brasil, mas algo como ir diminuindo aos poucos a quantidade).
    Beijinhos!

    ResponderExcluir
  2. Olá! É meu sonho de consumo tirar o açucar de vez.......
    Quem sabe um dia consigo.
    Até!!!!!!!!!!

    ResponderExcluir
  3. Vivi, mais ou menos estou indo na onda do livro que mencionei (As Mulheres Francesas Não Engordam) mas já pensava algo parecido há algum tempo. Também acho que o paladar está viciado, por isso resolvi mudar.

    Rô, dá sim! Vai de pouco em pouco, com paciência. Eu fui, ao longo de meses, tirando um pouco de cada vez, até acostumar.

    ResponderExcluir
  4. éeeeee Bel, é um assunto velho, mas é algo dificil de aplicar, eu mesma tenho muita dificuldade em comer devagar, sempre sou a primeira a terminar as refeições, valeu pelo reforço hehe, preciso muito melhorar nisso! sabe que eu diminui muito o sal da minha comida, mas o açucar ta dificil...as vezes misturo açucar com adoçante no café por exemplo

    ResponderExcluir
  5. Oi Bel, na minha salada só entra vinagre ou limão e um tiquinho de sal. Enjoei de azeite. Sobre o café, eu tomo com adoçante, já tentei o puro mas nao consegui.
    Vou experimentar a dica da canela.
    Beijos

    ResponderExcluir

Tempere com seu pitaco: